• youtube

Campanha 16 de Ativismo pelo Fim da violência contra as Mulheres.

Em 13/12/2018

Como forma de combater e denunciar todas as formas de discriminação e violência de gênero e ratificar compromissos institucionais com a transversalidade das políticas públicas para as mulheres no estado do Maranhão, a Secretaria de Estado da Mulher, deu início no último dia 23 de novembro a Campanha dos 16 de Ativismo pelo Fim da violência contra as Mulheres.
O período envolve datas relevantes para o enfrentamento à violência contra a mulher em todo país e no mundo. No Brasil tem início no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra e vai até o dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.
Considerando o atual cenário de violência que compromete a proteção à vida das mulheres, tendo uma Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres no Maranhão com necessidade de uma atuação mais articulada entre as instituições/serviços governamentais, não governamentais e a comunidade, a campanha tem como objetivo não somente de incentivar com que mais mulheres denunciem a violência, como também mostrar a elas que existe uma rede de proteção no estado e que elas não estão sozinhas, tornando assim a Rede de Enfrentamento mais forte.

A data também busca levar a reflexão de toda a sociedade, assim como as instituições governamentais de que é preciso conjuntamente pensar no desenvolvimento de estratégias efetivas de prevenção e de políticas que garantam a construção da autonomia das mulheres, os seus direitos humanos, a responsabilização dos agressores e a assistência qualificada às mulheres em situação de violência e suas famílias e também pactuar a nível Estadual as atribuições e responsabilidades dos órgãos e instituições que compõem a Rede de Enfrentamento e de seu fortalecimento, de modo a responder às demandas e desafios em face da grave realidade da violência contra as mulheres no nosso estado.

O tema da campanha deste ano é: “Quebre o Silencio, Denuncie!” é uma reflexão que está sendo levada para a sociedade e instituições governamentais, disse a Secretária da Mulher Terezinha Fernandes, “todos nós se não já passamos, conhecemos casos de mulheres vítimas da violência. O Brasil é o 5º país no mundo que mais trata mal suas mulheres. É preciso promover uma mudança de comportamento, fortalecer a Rede de Enfrentamento e termos mais mulheres ocupando os espaços públicos e privados”, concluiu Teresinha Fernandes.

A campanha da SEMU , lançou  16 atitudes individuais, onde as pessoas serão estimuladas a compartilhar cards postados pela secretaria em suas redes sociais com dicas de como podem se envolver no combate à violência de gênero. Todos os dias uma atitude será postada. Ao final da campanha, dia 10 de dezembro, serão lançadas as 16 atitudes institucionais, uma carta compromisso das instituições e órgãos que compõe a Rede de Enfrentamento a Violência Contra a Mulher.

A Secretaria da Mulher, em parceria com a Coordenação Municipal da Mulher esteve na Feira do Livro 2018 com o Espaço Mulher, local de debates e rodas de conversa. Durante o período da feira uma especialista abordou temas como enfrentamento a violência, autonomia econômica, feminicidio, entre outros.

No lançamento a Coordenadora Estadual das Delegacias da Mulher Kazumi Tanaka, proferiu um palestra sobre o tema da Campanha “Quebre o silêncio, denuncie”.  Ela falou sobre a importância da denúncia e aonde mulheres vítimas de violência podem encontrar apoio. “Não é simples para uma mulher entender que ela sofre um relacionamento abusivo, por isso temos ainda tantos casos de violência e alguns infelizmente terminam em feminicídio”. Para ela, a informação é a melhor arma contra a violência “Quando as meninas e mulheres se conscientizarem e realmente entenderem que aqueles sinais de ciúmes e controle por parte do namorado, ou marido, já são um sinal de relacionamento abusivo. Se a mulher continuar com esse relacionamento, vão começar as agressões verbais e até físicas. Por isso antes que comece o melhor é não continuar”, falou Kazumi Tanaka.

Além de representantes do Conselho Estadual da Mulher, Fórum Maranhense de Mulheres, Rede Amiga da Mulher, Coordenação da Mulher de São Luís e outros parceiros,  a platéia teve a participação de alunos de escolas de Ensino Médio da Rede Estadual. A Secretaria da Mulher, juntamente com a Secretaria da Educação, desenvolvem dois projetos com os alunos da rede que tratam sobre igualdade de gênero e enfrentamento a violência, para Daniela Aquino, coordenadora dos projetos Fazendo Escola e A Escola como Espaço de prevenção que já percorreu as Unidades de Ensino do Estado levando a mensagem da prevenção e igualdade. “Nosso trabalho é de esclarecer, tirar as dúvidas, informar meninos e meninas, pra podermos formar uma nova geração mais consciente e que respeite os direitos e as diferenças entre homens e mulheres”, concluiu Daniele.

A Secretaria Adjunta da Educação Rosijane Pinto disse que a luta pelo fim da violência contra as mulheres vai durar o tempo que for preciso “Precisamos mais do que 16 dias, 16 meses ou 16 anos, passe o tempo que for necessário para termos igualdade de direitos entre homens e mulheres, pois juntos vamos combater as injustiças sociais, por isso temos que ser mais ativos e participativos”, concluiu Rosijane.

Para a professora Maria Célia da Escola Estado do Pará a educação é um processo em conjunto e atividades como essa só fazem melhorar a visão de mundo dos alunos “Cidadãos se formam a partir do conhecimento de vida, mundo e sociedade em que ele está integrado, o conhecimento é fundamental para poder formar pensadores e pessoas com senso crítico, afinal, a discussão é algo fundamental, divergir é normal, o mais importante é que ao final todos se respeitem e consigam progredir para um bem comum”, concluiu a professora.

A programação da Campanha 16 Dias de Ativismo, Pelo Fim da Violência Contra a Mulher da Semu conta com a participação das mais de 80 gestoras municipais que vão levar a mensagem da campanha para seus municípios. Para a campanha deste ano, a Semu lançou nas redes sociais as “16 atitudes contra a violência”, são cards diários que serão publicados até o dia 11 de dezembro com o objetivo de lembrar as datas que marcam o período e também estimular homens e mulheres a postarem desafios nas redes e marquem os amigos e assim formem uma grande rede contra a violência e pela vida. Acesse secretariadamulherma (instagram) e participe.

DSCN9475

DSCN9461

 

DSCN9549

DSCN9505

 

DSCN9536

DSCN9521

 

DSCN9527

Endereço

Av. Colares Moreira Calhau, São Luís - MA, 65075-380

HORÁRIO DE ATENDIMENTO
De segunda à sexta, das 13h às 19h

OUVIDORIA DA MULHER
0800 098 4241

Localização

Desenvolvimento © SEATI | www.seati.ma.gov.br